Desde o início das nossas vidas, começamos a registrar memórias e a utilizá-las para o desenvolvimento de outras funções cognitivas. A aprendizagem da fala nos bebés, por exemplo, é o resultado de meses de observação, assimilação e recordação do material linguístico apreendido por meio da interação diária com os pais e restante família.

Assim como recordações negativas podem levar a traumas intensos e definitivos, as lembranças positivas conseguem revolucionar o estado de espírito, renovar a esperança e trazer otimismo para se viver melhor.

Vamos pensar sobre o futuro e refletir sobre os efeitos do tempo nas vidas das crianças. Nesta brincadeira o objetivo é criar um baú da família, como se as lembranças atuais entrassem numa cápsula do tempo para mais tarde recordar e comparar.

Dessa forma, manter vivas as recordações que nos deixaram felizes no passado é um caminho para que a felicidade também se faça presente no momento atual.

Além disso, olhar para trás com carinho significa tirar importantes lições que servem para melhorar a nossa perceção sobre a vida.

Profundamente ligadas com os aspetos emocionais, as memórias podem originar emoções como a alegria ou a tristeza, permitindo que a criança aprenda a lidar com diferentes sentimentos. Isto vai ajudá-las a desenvolver diversas habilidades e características da criança que, futuramente, serão essenciais para a vida adulta.

Já pensou em viajar no tempo? O que acharão os miúdos aí de casa? Quando pensa no futuro, que lembranças gostaria de ter? Para saber a resposta a todas estas perguntas, realize esta atividade com os mais pequenos.

Materiais:

  • Caixa de plástico com tampa
  • Jornal do dia (em que fazem a atividade)
  • Revista do dia (em que fazem a atividade)
  • Várias fotografias engraçadas da família
  • Pequenas lembranças de familiares
  • Folha de papel
  • Canetas ou lápis de cor

Regras:

  • Reunir miúdos e graúdos na sala;
  • Explicar às crianças que vão criar em família um baú do tesouro para depois o  esconderem e voltarem a abrir daqui a alguns anos;
  • Pedir a cada membro para escolher uma lembrança sua e colocar dentro da caixa. Podem ser pequenos objetos que representem alguém, um desenho, um brinquedo, um amuleto, uma recordação de uma viagem em família ou o que cada um desejar. É importante que a criança escolha sozinha o que quer deixar no baú da família;
  • Adicionar às lembranças individuais, um jornal do dia e várias fotografias de todos.
  • Escrever uma carta a explicar o propósito do baú, o nome das pessoas envolvidas na atividade e em que dia e local está a ser realizada;
  • Colar a carta na parte interna da tampa;
  • Enterrar o baú da família para mais tarde recordar. Caso não haja possibilidade de enterrar, a caixa deve ser guardada num lugar seguro e pouco utilizado, como por exemplo numa arrecadação ou sótão.

Esta atividade é ótima para fazer já este fim de semana e rever este momento daqui a algum tempo depois do confinamento com a abertura da famosa cápsula do tempo.

Pode ser daqui a um, cinco ou dez anos, o tempo é determinado por cada família, mas o resultado é mais divertido quanto maior o tempo de espera entre a realização do baú da família e o momento de abertura. Não perca tempo e crie magia dentro de casa!

Resumindo…

A família é a base da formação da criança e é no convívio familiar que aprendemos uns com os outros, a conviver, a reviver e a partilhar momentos. Esta é uma atividade para fazer em família, diferente, dinâmica e que destaca a importância de reviver momentos passados recheados de imagens, cheiros e emoções. São estes pequenos momentos que se tornam lembranças de infância.

Se quiser saber mais sobre atividades para crianças, leia o nosso artigo O Festejo Da Amizade.

Truques Prá Família é um projeto de Sofia Rodrigues. Enfermeira de profissão, tem percorrido outros caminhos na área da educação, em estreita relação com as crianças e as suas famílias, dentro e fora do contexto clínico. O foco é a educação positiva, saúde escolar e boas práticas que direcionem para os hábitos de vida saudável.