#testemunho: Bem disposta, simpática, lutadora, a Catarina é a autora do projeto @mindthetrash 😊

⁠Conhece a Catarina e o seu lifestyle saudável.

Qual é a tribo alimentar com que mais te identificas?

Posso afirmar que sem dúvida me identifico mais com o veganismo, apesar de não o ser (ainda) – uma batalha que travo há uns bons anos! Talvez ainda antes do ano 2000. Sempre fui muito ligada aos animais. Desde miúda que convivo com eles e sempre senti muita empatia e conexão. Já tive mais de 10 cães, 1 papagaio, tartarugas, ratinhos da índia, hamsters, coelhos… Isto em pleno centro de Lisboa! Já os meus amigos brincavam a dizer que nós tínhamos uma quinta no coração de Lisboa. Quando me apercebi que o que comia eram animais, que muitos não eram livres e felizes, como nos dizem os livros de criança, que tinham uma vida infeliz e de sofrimento, foi um enorme desgosto. Como podemos falar de compaixão para com o próximo quando não o fazemos com eles? Sujeitamos os animais a um holocausto sem data de término. Felizmente também nunca fui grande apreciadora de carne e gostei de pesquisar sobre os alimentos que são mais nutritivos e saudáveis.

O que é que mais te inspira no lifestyle saudável?

O que mais me inspira é o saber que estou a cuidar do meu corpo e mente. Ter um estilo de vida mais saudável, é viver de uma forma mais equilibrada, adquirindo bons hábitos alimentares, mas também exercitar-me, passear na natureza, fazer meditação e rodear-me de pessoas com boas energias.

Quais foram os principais desafios na adoção de um lifestyle saudável?

Os principais desafios em termos alimentares foram o de viver numa família típica portuguesa em que a alimentação era o bife, o arroz e a batata. Em criança, não conhecia ninguém que levasse uma alimentação vegana/vegetariana e esta era vista na minha família como uma fraca alimentação (ainda hoje é um pouco). Assim, por iniciativa própria, fui adquirindo livros para aprender algumas receitas. Contudo, a grande maioria foi um enorme falhanço. Ninguém da minha família gostava das receitas e admito que nem eu! Além disso, eram receitas complicadas e com ingredientes que nos eram desconhecidos e de difícil acesso. Felizmente, hoje em dia, já conheço muitos veganos/vegetarianos e partilhamos inúmeras dicas. Para mim, ainda está a ser uma aprendizagem descobrir o que gosto e o que devo ingerir para uma alimentação saudável. Para além da alimentação, ao longo destes anos também me fui apercebendo do que me faz sentir bem e do que não me faz sentir bem. Assim, também sei que para mim, é extremamente importante o contacto com a natureza, o exercitar-me, o parar e abrandar o ritmo, meditar.

O que recomendarias a quem quer começar um lifestyle saudável?

Recomendaria começar por abrandar o ritmo e ouvir o próprio corpo. Hoje em dia vivemos num tempo de correria, de stress, diria que já estamos em “piloto automático”. Acabamos por não aproveitar os pequenos detalhes, usufruir do momento.

O que mudou em ti por causa do lifestyle saudável?

Em termos alimentares, a consciência mais tranquila de não contribuir com o que não concordo. De resto, certamente uma pessoa mais calma e ponderada, que reflete e assimila melhor as situações e sem dúvida tenho mais energia!

Na Clevermeals acreditamos que nunca houve um momento em que o que comemos dissesse tanto sobre quem somos, sobre o nosso ponto de vista ecológico, ético e até sobre o nosso lifestyle.

Sem dúvida que o que comemos diz muito sobre nós. Costuma-se dizer que o que comemos reflete-se não só na nossa pele e energia, mas também no tipo de pessoa que somos. Porque no fundo comer é uma ação e acredito que as ações nos definem enquanto pessoas. Por isso, se sei que existe sofrimento animal, por exemplo, coadunar com isso simplesmente não faz parte da minha personalidade. Juntando aqui também o ponto de vista ecológico, já existe imensa informação que comprova que grande parte da desflorestação, está ligada ao facto de se criarem campos para alimentarem o gado. Sabendo isto e continuarmo-nos a alimentar de animais, o que é que isto diz sobre nós? Claro, que ninguém muda os seus hábitos do dia para a noite, mas mudar aos poucos e tentar, já diz muito sobre uma pessoa.

O que inspira a tua vida? O que inspirou o projeto Mind The Trash?

O equilíbrio que existe na natureza e a família. Sabendo que não estamos a respeitar a natureza fez-me querer iniciar o projeto Mind The Trash. Partilhar formas de viver em que não prejudicamos a nossa saúde e a do próximo (sendo animal racional ou não), garantindo um futuro mais prospero para gerações futuras e presentes.

Quais são as 3 coisas que não podem faltar na tua vida?

A família, incluindo os meus cães, viajar e o contacto com a natureza. Sem dúvida são os meus pilares e o que não me pode mesmo faltar.

Se o Planeta pudesse falar, o que achas que nos diria?

Acredito que o planeta nos pediria para deixarmos o nosso ego de parte e nos conectarmos novamente com a natureza, porque no final estamos todos interligados e somos todos um.

Como devemos descrever a Catarina?

A Catarina é uma pessoa que dá muito valor à família, aos animais e à natureza. Quando era criança deparei-me com inúmeras injustiças, e por isso, nos dias atuais, luto bastante pela justiça e transparência. Adoro divertir-me e passear. Sou muito protetora dos meus e acordo sempre muito bem disposta! Há uma frase que acho que me identifica bastante e penso nela todos os dias: “Só vives uma vez mas se o fizeres de forma correta, uma vez é suficiente”.

Discover Healthy. Get Clever!