Estamos habituados a exigir muito de nós mesmos, e quando não cumprirmos as nossas expectativas, a autocrítica é uma consequência natural disso. Mas como podemos desenvolver autocompaixão?

Durante algum tempo, a sociedade convenceu-nos que deveríamos ser perfeitos, a querer alcançar sempre mais, vencendo todos os desafios e a trabalhar muito sendo os melhores. Obviamente não há nada de errado em ter um objetivos.

No entanto, para alcançar esses ideais — que muitas vezes parecem inatingíveis — algumas pessoas tendem a criticar-se com dureza e a culpar-se quando as coisas correm mal.

Algumas pesquisas indicam que esse efeito desmoralizador é negativo, porque em vez de servir de estímulo, atrapalha os resultados.

Sendo assim, como podemos aumentar a autocompaixão? Esta capacidade pode ser desenvolvida a partir de algumas práticas, exercícios e psicoterapia.

Experimente olhar com autocrítica para um amigo, pense que se as palavras são duras para alguém que lhe é querido e quer bem, se forem duras para o outro, serão duras para si também.

carta-autocompaixao-clevermeals-800-600

Propomos um exercício para ajudá-la na prática de autocompaixão, sinta-se à vontade para fazê-lo ou não. O objetivo deste exercício é aumentar a sua consciência sobre si mesma. Escreva! Escrever ajuda-nos no processo de tomar consciência.

Escreva uma carta, sem medo de julgamentos. Nela, registe tudo o que está a sentir. Escreve as suas imperfeições, os seus medos, os obstáculos e como se sente por não conseguir ultrapassá-los.

Não se culpe pelas vezes que não foi bem sucedida. Quando temos consciência do que sentimos, mudamos a forma como nos autocriticamos e encontramos o caminho para desenvolver autocompaixão.

A autocompaixão é importante, pois evita críticas destrutivas a nós próprios, estabelece um vínculo afetivo com o seu “eu” interno e ainda serve de ferramenta para lidar com momentos de recaídas. Passamos a ver nossas falhas como parte normal do ser humano – a experiência humana inclui erros, mas a maneira como lidamos faz toda a diferença.

5 Práticas De Autocompaixão

  • Troque as críticas por compreensões. Tenha pensamentos como “Eu sei que errei mas faz parte…”
  • Diminua o tom da voz interna de autocrítica. Sempre que ouvi-la lembre-se de que é você mesma que se está a criticar.
  • Registe elogios! Crie um diário, um jornal, lembretes, etc. com os elogios que recebe.
  • Faça uma lista das suas 3 principais qualidades.
  • Dedique tempo para cuidar de si mesma.

Resumindo…

Praticar autocompaixão permite-nos ter confiança para tentar novamente, afinal não é por falharmos ou sofremos que nos tornamos menos válidos ou menos importantes. Na verdade, isso só nos torna mais humanos.

⚡️ Se quiser saber mais sobre mindfulness, leia o nosso artigo Compaixão.

Discover Healthy. Get Clever!