O Dia Mundial do Teatro é celebrado anualmente no dia 27 de Março e tem como objetivo a celebração do valor e da importância do teatro, como forma de arte imprescindível para toda a comunidade.

É através das artes que as crianças desenvolvem a imaginação e a criatividade. Trabalhar a expressão dramática e o facto de se explorarem histórias, inclui uma série de vantagens para a criança: aprende a improvisar, desenvolve a oralidade e a escrita, a expressão corporal, a colocação da voz, aprende a relacionar-se com o outro, desenvolve o vocabulário, trabalha o lado emocional, a cidadania, incentiva a leitura, propensa o contato com obras clássicas e diferentes tipos de texto, melhora a autoconfiança, estimula a imaginação e a organização do pensamento.

Tendo em conta os interesses das crianças em ouvir, dramatizar e inventar histórias, e sabendo que o jogo dramático por exemplo proporciona o desenvolvimento de competências ao nível da formação pessoal e social, torna-se fundamental o papel do proporcionar às mesmas atividades de componente artística.

Estas poderão ajudar a desenvolver o seu brincar, promovendo a interação entre elas e contribuindo para o desenvolvimento das suas capacidades de expressão e comunicação.

Agora que estamos em fase de desconfinamento, há que voltar a pensar na rotina do fim de semana e planear atividades para deixar os miúdos divertidos. Para tal, nada melhor do que duas atividades em família onde possam explorar histórias encantadas e criar as vossas próprias personagens.

Atividade Nº1: Fantoches De Colher

Material:

  • Colheres de pau ou de plástico
  • Algodão
  • Escovilhões pequenos
  • Canetas de feltro
  • Papel de seda (diferentes cores)
  • Pedaços de tecidos
  • Tesoura
  • Cola

Procedimento:

  • Cole o algodão na parte redonda da colher para fazer o cabelo ou a barba da personagem.
  • Dobre os escovilhões em volta do “pescoço” da personagem, de forma a fazer dois braços.
  • Use as canetas de feltro para desenhar os olhos, sardas, nariz e boca.
  • Crie a roupa com o papel de seda e/ou tecido, usando a cola para o fixar.

Atividade Nº2: Dado Contador De Histórias

Material:

  • Lápis de cor
  • Cartolinas
  • Régua
  • Tesoura
  • Pincel
  • Cola branca
  • Imagens recortadas de revista/jornal ou impressas

Procedimento:

  • Faça um cubo de cartolina. Deve pesquisar na internet a planificação de um cubo para facilmente o construir.
  • Procure em revistas e jornais ou imprima da internet imagens que demonstrem ações simples (exemplo: crianças a brincar no parque, bebé a chorar, um adulto a passear o cão, etc.)
  • Em cada uma das faces do cubo cole uma imagem recortada.
  • Após toda a construção e colagem das imagens, pincele todo o cubo com cola branca para o tornar mais resistente.
  • Ao lançar o dado, a criança vai visualizar uma face com o início de uma história. A imagem que calha é aquela que vai dar origem à primeira ação da história.

Estas atividades vão certamente fazer com que as crianças abram asas à sua imaginação e que entrem naturalmente no mundo da comunicação.

Quando as crianças ouvem histórias, experimentam esta relação entre escrita e leitura. Quando inventam uma história ou criam uma rima sem sentido, estão a aprender que podem criar elas próprias histórias e relacionar palavras de uma maneira satisfatória e inteligível.

Resumindo…

Através da brincadeira, do jogo e da expressão dramática, a criança expõe vivências de seu cotidiano e expressa as suas emoções. Agora que estamos em fase de desconfinamento e os mais reguilas voltaram à escola, os fins de semana em família ganham mais importância. Aproveitem o tempo juntos e criem histórias divertidas com estas duas atividades, de forma a estimular a criança para a importância das histórias e livros como forma de aprendizagem. 

Se quiser saber mais sobre atividades infantis, leia o nosso artigo Primavera Caseira.

truques-familia-clevermealsTruques Prá Família é um projeto de Sofia Rodrigues. Enfermeira de profissão, tem percorrido outros caminhos na área da educação, em estreita relação com as crianças e as suas famílias, dentro e fora do contexto clínico. O foco é a educação positiva, saúde escolar e boas práticas que direcionem para os hábitos de vida saudável.