O Verão está à porta e as férias, apesar de este ano chegarem mais tarde, estão quase aí. Fique a par do Guia de Ocupação de Tempos Livres para este verão.

Ocupação de Tempos Livres: O Verão está à porta e as férias, apesar de este ano chegarem mais tarde, estão quase aí. Fique a par do Guia de Ocupação de Tempos Livres para este verão. Devido à interrupção letiva extraordinária no segundo período, consequente da pandemia por Covid-19, as datas do ano letivo 2020-2021 tiverem que ser reajustadas pelo governo.

Apesar das consequências ainda visíveis da pandemia, das alterações nas dinâmicas familiares, perda de rendimentos, afastamento social, entre outros, criaram-se também novas exigências que desafiam o bem-estar e a saúde psicológica de todos.

Uma das maiores adversidades das famílias foi sem dúvida a dificuldade em conviver diariamente com o restante agregado familiar 24h sob 24h no mesmo espaço. A ocupação das crianças durante este período foi certamente o maior desafio, deixando os pais psicologicamente exaustos. Cuidadores estes que procuram na altura das férias, e hoje mais do que nunca, uma solução para o seu descanso.

Ocupação de Tempos Livres – OTL

A ocupação de tempos livres para crianças e jovens, habitualmente conhecida como OTL, é uma dessas opções. É um programa que se caracteriza por desenvolver e dinamizar atividades de ocupação de tempos livres, de forma a conseguirem a aquisição de competências pessoais, sociais e relacionais.

Estes programas têm ganho cada vez mais força e à medida que o tempo passa, têm se revelado essenciais para muitas famílias e determinantes no envolvimento das crianças participantes, sendo um claro contributo para o seu desenvolvimento psicossocial e físico.

Habitualmente decorrem nas férias escolares de verão, nos meses de julho, agosto e setembro, onde as crianças e adolescentes, acompanhados por monitores, podem participar em atividades de lazer, de carácter desportivo, ambiental, cultural e patrimonial.

A meu ver este termo de OTL poderá ser aplicado de diferentes formas, não só como um programa organizado com uma entidade ou empresa com custos fixos e com inscrições de grande escala, mas também como um programa mais familiar e organizado em pequena escala.

O que realmente interessa é que haja um planeamento e organização de atividades para ocupar o tempo livre das crianças e jovens no período de férias escolares, contribuindo para a sua educação não formal, pela aquisição de novos saberes, normas e valores inerentes a uma cidadania responsável, bem como o acumular de experiências sociais e profissionais decisivas para a formação de cidadãos habilitados e responsáveis.

Independentemente do formato que a família optar, existem sempre diversos benefícios para as crianças. De seguida, enumero algumas das principais vantagens da ocupação dos tempos livres na infância, neste caso aplicado ao maior período de férias do ano letivo, o Verão.

Blog-Capas-800x600

Vantagens da Ocupação dos Tempos Livres:

  • Aumento da iniciativa e criatividade
  • Descanso das crianças/jovens após as exigentes tarefas escolares
  • Sensibilização para o trabalho de equipa
  • Descanso dos pais e cuidadores diretos
  • Aquisição de competências pessoais, sociais e relacionais
  • Experimentação de atividades que durante o ano letivo são impossíveis
  • Contacto com novos ambientes
  • Sensibilização para o espírito de entreajuda
  • Promoção da comunicação
  • Estimulação dos sentidos
  • Desenvolvimento psicossocial e físico
  • Promoção dos hábitos de vida saudáveis
  • Diversos momentos de aprendizagem

Após percebermos a importância da ocupação dos tempos livres nas crianças e as diversas vantagens associadas ao mesmo, onde é que podem procurar soluções? Deixo de seguida alguns exemplos práticos subdivididos por ATL ‘s de Verão, Colónias ou Campos de férias e Oficinas ou Ateliês de Verão. A maior diferença entre os mesmos passam pelo custo associado e pela duração ou tipologia de internato ou não.

Entidades Organizadoras de Programas de Tempos Livres:

ATL – Também conhecidos como CATL, ou seja, centros de atividades de tempos livres para crianças e jovens. É um espaço educativo com atividades lúdicas e socioculturais que se encontra aberto todo o ano, em período letivo e não letivo. Aqui existe acompanhamento pedagógico e apoio ao estudo e explicações, habitualmente do 1º ao 3º ciclo.

Colónias / Campos de férias – É uma das tipologias de OTL que mais decorre nas férias escolares de verão, nos meses de julho, agosto e setembro. Aqui as crianças e jovens são diariamente acompanhados por monitores, podendo participar em atividades de lazer, de carácter desportivo, ambiental, cultural e patrimonial, sendo que o regime habitualmente usado é de permanência diurna e noturna.

Oficinas / Ateliers de Verão – São atividades específicas e programadas, idênticas a workshops. Têm um regime apenas diurno e de curta duração, sendo repartidas por temáticas específicas, onde dão oportunidade de esporadicamente a criança quebrar a rotina e proporcionar novas experiências.

Veja alguns exemplos de entidades que organizam ATL, Colónias e Campos de Férias, Oficinas e Ateliers de Verão.

ATL

Resumindo…

Os programas de ocupação de tempos livres proporcionam a participação ativa de crianças e jovens em atividades adequadas à faixa etária e a projetos (de curta ou longa duração) com a comunidade, contribuindo para a ocupação dos tempos livres de forma saudável.

Este ano, e depois de uma época de confinamento que afetou toda a normalidade das famílias, os ATL’s, os campos de férias e mesmo os ateliers esporádicos são hoje em dia um input muito importante para o retorno à ”normalidade” social.

A ocupação dos tempos livres das crianças e jovens são de uma importância extrema para o seu desenvolvimento, dando a possibilidade de fazer novos amigos, criar laços, criar a sua própria autonomia e, principalmente, ajudando-os a criar bases para a vida.

⚡ Se quiser saber mais sobre educação infantil, leia o nosso artigo A Liberdade De Escolha Nas Crianças.

truques-familia-clevermealsTruques Prá Família é um projeto de Sofia Rodrigues. Enfermeira de profissão, tem percorrido outros caminhos na área da educação, em estreita relação com as crianças e as suas famílias, dentro e fora do contexto clínico. O foco é a educação positiva, saúde escolar e boas práticas que direcionem para os hábitos de vida saudável.