#testemunho: Simpático, ativista na luta pela equidade social e climática, o Tiago Matos é autor do projeto @tiago.greentribe 😊

⁠Conhece o Tiago e o seu lifestyle sustentável.

Qual é a tribo alimentar com que mais te identificas?

Identifico-me com o veganismo, embora o veganismo se refira a algo mais que a alimentação (cosmético, roupa, entre outros).

Tornei-me ovolactovegetariano há 3 anos e vegano há 2 anos. Fi-lo de forma bastante natural e gradual, conforme foi fazendo sentido para mim.

Comecei a abandonar a carne e o peixe, por questões ambientais, mas à medida que mergulhava nesta alimentação, começou a fazer-me muita confusão os maus tratos animais.
Hoje sou vegano, pela minha saúde, pelo planeta e pelos animais.

O que é que mais te inspira no lifestyle sustentável?

Saber que estou a fazer algo maior que mim mesmo.
Saber que estou a inspirar pessoas a fazer algo melhor para elas mesmas e para o planeta.

Nada me inspira mais do que o sentimento de fazer a diferença e provocar a mudança.

Quais foram os principais desafios na adoção de um lifestyle mais sustentável?

Sinto que tive poucas dificuldades. No que toca à sustentabilidade, sou muito pragmático. Para mim nunca foi difícil deixar a proteína animal, deixar de usar tanto plástico ou deixar algum hábito menos ecológico.

No entanto, acredito que talvez o planeamento possa ser o mais desafiante para mim. Na correria do dia a dia, perceber o que comprar, onde comprar, planear os frascos que tenho de levar para as compras que preciso de fazer.

E depois, claro, há sempre produtos que eu não consigo encontrar a granel. Depois, por vezes é difícil gerir o desperdício alimentar em casa.

Embora viva sozinho e tenha muito cuidado com isso, acontece esporadicamente ter de por alimentos para a compostagem.

Eu faço o máximo que posso com as condições que tenho e acho que esta mensagem é importante interiorizarmos. Porque ser perfeito neste mundo não é sustentável.

O que recomendarias a quem quer começar um lifestyle sustentável?

Primeiro, aceitar que não vai ser um mar de rosas e que a mudança é gradual e com falhas. Aceitar a nossa imperfeição.

Depois, definir o nosso propósito. Acho que este é o maior conselho que posso dar. Devemos perguntar a nós próprios porque estamos a fazer esta mudança, para que nos momentos mais aflitos nos consigamos agarrar a essa missão.

Acredito que fazer uma auditoria ao nosso balde do lixo é essencial. Para tentar perceber o que compramos que não precisamos, que embalagens podemos não trazer para casa.

Mudar a alimentação é essencialmente. Fazer a transição para uma alimentação à base de plantas, mesmo que esporadicamente consumam carne. Esta ação é das maiores que podemos fazer para mitigar as alterações climáticas.

O que mudou em ti por causa do lifestyle sustentável?

A forma como vejo o mundo. Eu desenvolvi uma empatia que não sabia que tinha. Desenvolvi uma missão humanitária que nunca achei que iria travar.

Mudar a minha alimentação, lutar pelo nosso clima e pelas pessoas que mais sofrerão com a mudança climática, fez-me sem dúvida ser uma pessoa predisposta à luta e ao ativismo.

Na Clevermeals acreditamos que nunca houve um momento em que o que comemos dissesse tanto sobre quem somos, sobre o nosso ponto de vista ecológico, ético e até sobre o nosso lifestyle.

Concordo. A forma como comemos é político e é ativismo.
Eu mudei a forma como me alimento por uma causa gigante, o clima e os animais.

Tudo o fazemos tem uma consequência e define quem somos. Se eu escolho agir no meu prato, isso define a minha essência, de certa forma.

Para mim, o veganismo é mais do que a minha alimentação, é a minha forma de viver e ver o mundo, por isso concordo totalmente.

O que inspira a tua vida? O que inspirou o projeto Green Tribe?

Provocar a diferença. O projeto Green Tribe surgiu num dos meus maiores picos de eco-ansiedade. Eu não conseguia mais guardar estas emoções para mim. Decidi ativar e tentar inspirar pessoas a mudarem comigo.

Quais são as 3 coisas que não podem faltar na tua vida?

Primeiro, saber que tenho comigo (mesmo que à distância) os meus amigos e a minha família.

Sobretudo por serem tão pacientes comigo e terem “aceite” a minha desconstrução enquanto pessoa e terem abraçado uma nova versão de mim mesmo.

Depois, o meu gato, o Mike. É das coisas mais especiais que eu tenho e que apareceu na minha vida numa altura que precisava de me levantar. É um filho para mim e um melhor amigo. Não sei como é possível gostar tanto dele, juro.

Por último, os meus patins. São o meu escape terapêutico. É a patinar que eu medito, liberto-me da ansiedade e penso.

Se o Planeta pudesse falar, o que nos diria?

Acordem. Parem. Mudem.

Como devemos descrever o Tiago?

O Tiago é um homem ambicioso. Ambicioso pela mudança, ambicioso pela sua liberdade e ambicioso pela luta.

Embora seja uma pessoa complexa, é apaixonado e deseja uma vida simples, de rotinas saudáveis, numa sociedade igual.

Discover Healthy. Get Clever!